RESENHA: LOVESTAR, Andri Snær Magnason

julho 03, 2018


Os livros de Andri não costumam ter a fama de coerentes, mas toda a loucura que ele coloca nessa história faz sentido. Uma crítica muito bem feita sobre consumismo, perfeição e o perigo das ideias.


Sinopse: O enigmático e obsessivo fundador das Corporações LoveStar, desvendou o segredo para transmitir informações em frequências emitidas por pássaros, finalmente libertando a humanidade de dispositivos e cabos, e permitindo que o consumismo, tecnologia e ciência tomem conta de todos os aspectos da vida diária. Agora, homens e mulheres sem fio são pagos para gritar propagandas para pedestres desavisados, enquanto o programa Regret elimina todas as dúvidas sobre os caminhos não escolhidos. Almas gêmeas são identificadas e unidas através de um sistema altamente tecnológico. E enviar os mortos aos céus em foguetes se torna um símbolo de status e beleza, um show catártico para aqueles deixados para trás. Indridi e Sigrid, dois jovens amantes, têm seu mundo perfeito ameaçado, quando são calculados para outras pessoas e forçados a chegar a extremos para provar seu amor. Sua jornada os coloca em uma rota de colisão com LoveStar, que está em sua própria missão de encontrar o que pode vir a ser a última ideia do mundo.


A LoveStar é uma corporação gigantesca que passou a dominar a economia mundial, assim como a vida de seus habitantes. Ela possui ramificações em diversas áreas, possibilitou a vida sem fio e controla os desejos e consumo por meio de algoritmos e propagandas ultrapersonalizadas. Existe a LoveDeath, responsável por enviar os corpos dos mortos para se tornarem uma estrela cadente; o Regret, para acalmar aquelas dúvidas sobre suas decisões e a inLove, responsável por calcular as pessoas para o seu par perfeito.

Somos apresentados a Indrid e Sigrid, um casal não calculado que encontrou o amor sem a ajuda da LoveStar e o fundador da empresa cujo nome também é LoveStar. Por meio das atitudes desses personagens e tudo aquilo que eles enfrentam ao longo da história, podemos fazer paralelos com a nossa realidade e nos questionar sobre a ambição de alguns, muitas vezes sem reservas, e a apatia e subserviência da maior parte da população.

O autor apresenta várias semelhanças com a nossa sociedade e por meio de críticas ácidas, nos faz analisar o mundo em que vivemos. Atualmente somos totalmente dependentes das tecnologias, não damos espaço para o que não é perfeito e vivemos sob um consumismo desenfreado, sem pensar nas consequências de nossas atitudes. A LoveStar representa tudo aquilo que nós somos, pessoas que fazem as coisas sem pensar no próximo, visando apenas nosso próprio benefício.

O maior problema desse livro se encontra na narrativa, que é não linear, disforme e por vezes confusa. São várias linhas do tempo e até que se perceba qual é, já perdemos o foco e o ritmo. No meio do livro a história se torna um pouco maçante, demorando para voltar ao ritmo. Apesar desses problemas é um livro que nos faz questionar e ter reflexões sobre a sociedade em que vivemos.





Você também vai amar:

0 comentários

Subscribe